Fusca: de símbolo do fascismo a adorável herói

john-heskett
John Heskett

John Heskett (1937-2014) foi professor catedrático da Escola de Design da Universidade Politécnica de Hong Kong e o autor dos livros Industrial Design (1980) e Toothpicks and Logos: Design in Everyday Life (2002). Trabalhou como consultor de empresas e governos pelo mundo e foi um dos convidados da Bienal Brasileira de Design 2010, que aconteceu em Curitiba.

“Design é a capacidade humana de moldar nossos ambientes de forma a satisfazer nossas necessidades e dar sentido a nossas vidas.” John Heskett

http://johnheskett.com

Ferdinand Porsche explica a Adolf Hitler que motor do Fusca fica na traseira do carro.
Ferdinand Porsche explica a Adolf Hitler que motor do Fusca fica na traseira do carro.

John Heskett, professor de design da Universidade Politécnica de Honk Kong, conta que o fusca ilustra bem como os significados dos produtos podem variar de acordo com o contexo.

O Fusca, da Volkswagen, por exemplo, foi desenvolvido na Alemanha na década de 1930, concebido sob ordens diretas de Adolf Hitler. O ditador era um entusiasta da indústria automobilística. Segundo Heskett, “o Fusca foi divulgado como um símbolo das realizações do Partido Nazista.”

Ao fim da Segunda Guerra Mundial, durante a década de 1950, o Fusca se tornou um sucesso nos Estados Unidos. Embora o design fosse praticamente o mesmo dos primeiros protótipos, seu significado sofreu grandes mudanças, “passou de ícone do fascismo na década de 1930 a adorável herói da série de filmes ‘Se meu Fusca falasse’, de Walt Disney, nos Estados Unidos da década de 1960″.

Saiba mais:
HESKETT, John. Design. São Paulo: Ática, 2008. p. 37-38
KATAOKA, Fabio de Souza; TAVARES, Portuga. Almanaque do fusca. São Paulo: Ediouro, 2006.
SCHILPEROORD, Paul. A verdadeira história do fusca. São Paulo: Alaude, 2010.

 

Deixe uma resposta